segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Não moramos em um país comunista!

Pois é queridos visitantes!
Nosso país não é comunista!
Ando lendo a revolta de algumas pessoas com os responsáveis pela tal revista.
Concordo em partes, a sempre falta de um parecer oficial dos membros da mesma é uma baita falta de responsabilidade.
Para isso nunca possuem tempo, para esclarecimentos, porém para lavação de roupa suja nisso o tempo surge do nada.
Nisso, os mangakás sonhadores do nosso país, estão desesperados para tentar salvar a revista custe o que custar.
Qual seria o problema da revista?

Dinheiro não é, porque ninguém por mais doido que seja começa uma publicação continua sem ter $$.


Distribuição?
Mas a numero 1 saiu nas bancas, então não entendo da volume 2 não sair.
Sem contar que vende em lojas on line e nas especializadas em várias cidades, então não tem desculpa para não comprar a revista, já que você quer apoiar.


Fica a seu critério, pensar o real motivo do não BOOM da revista, penso comigo já analisando a tal campanha para doação de $$, porque os membros da comunidade da revista no Orkut e no grupo do Face não compraram a revista? Renderia bem mais $$$ do que essa campanha de doação, não concordam?
A revista não tem apoio nem dos tais fans/leitores, mas mesmo assim querem entrar na revista e publicar.
Deixa eu ver se entendi, o Zé povo quer entrar na revista, mas não quer comprar?
E ainda querem dar opinião?
Querem traçar o caminho da revista, e ficam com uns debates tão bobos na internet.
É simples, gostou compra e faz propaganda.
Se não gostou ou te fizeram uma propaganda ruim, não compra.
Seria essa segunda opção do não boom da revista?
E mais, por favor, não me venham com essa de más energias, que o povo do contra não faz a revista ir pra frente.
Ahh, e a revista por mais que seja para leitores, é algo privado (lá vou eu explicar o titulo do post)
Não é o leitor que manda nela, e sim os responsáveis pela mesma, no caso o editor.
Não adianta fazerem esse drama todo, tratando a revista como um “Criança Esperança”.
Não moramos em um país comunista, a revista não é do povo, não é do leitor.
Se o editor quiser tirar todos da revista e só deixar a história dele, ele pode.
Ele pode querer falir, querer que cancele a revista ou acordar um dia e desistir de tudo isso e ter outro rumo na vida.
Não tem dinheiro publico, é algo privado.
Ele não abriu uma ONG para salvar os mangakás sonhadores.
Ele lançou uma revista produto para VENDER!
Vou repetir várias vezes: VENDER, VENDER, VENDER, VENDERRRRR!
Então parem de tratar uma revista produto, como o fanzine dos seus amigos que imploram para você comprar.
O lance é comprar!
E olha que para quem queria doar 5 reais.. para 9,90 que é o preço da revista falta pouco.kkk

Até mais, abraços!

2 comentários:

  1. Pois é,Ju!
    Esse caso da revista fica mais absurdo a cada dia que passa...
    De um lado, os responsáveis que não dão sinal de vida e deixam as doideiras correndo soltas em nome da revista. Tudo bem que tenham outros afazeres, mas pelo menos uma vez por semana um deles deveria dar as caras em alguma rede social e falar em nome da revista. Porque é como se diz no interior:'é o zóio do dono que engorda o porco!'. Não dá pra lançar algo e não conferir a repercussão.
    De outro lado, os mangákas sonhadores e otakus desesperados, dispostos a fazer coisas mirabolantes pra salvar a arca de noé, onde sonham alojar toda a bicharada que vive em suas mentes criativas(ou nem tanto). Eles topam fazer qualquer coisa, menos comprar a revista!

    Os problemas mais escancarados,ao meu ver,são:

    * Distribuição falha/ruim: não sei se foi proposital ou se foi falta de competência, mas a revista NÃO CHEGOU em todo lugar como eles divulgaram. Aqui em Itaquá não veio para nenhuma banca, não veio numero nenhum! Mas eles divulgam como estando em todas as bancas. Admitir falhas na distribuição e indicar local pra compra online ajudaria muito, pra começo de conversa.

    *Propaganda maior que a capacidade: mesmo antes de ser lançada, essa revista nos foi apresentada como a bola da vez, a equivalente brasileira da Shonen Jump, a solução dos problemas pra todo mundo que quer fazer mangá no Brasil. A gente que é mais pé no chão sabe muito bem que não é por ai, que a revista pode ser boa, mas não é a 'salvação da pátria'. Nem fazendo muita força vai caber todo mundo, mas diante de tanto confete e serpentina, os 'otakupira' e viaja na maionese. O foco da propaganda foi exagerado, por isso a galera ta achando que é um 'OTAKU ESPERANÇA'(só estranhei o ZÉ Povo não ter comprado!Eu jurava que ele comprou de dúzia, dado o entusiasmo do rapaz com a campanha!).
    Realmente, a situação tá difícil! Eu só queria poder botar a mão na bendita revista para ver com meus próprios olhos, que o tanto de poeira que isso já levantou me faz achar que é uma bela porcaria!

    ResponderExcluir
  2. Isso que aconteceu é um fenômeno a ser estudado. Tbém achei que a galera ia comprar muito pra dar uma força e o negócio ia pra frente. O preço até é baixo. Até eu que nem quero participar comprei a bagaça... A maldição da AM é diferente da minha...KKK

    Cada dia nasce um bebê mangaká, mas teve um bum na natalidade depois da AM, não teve não? Mas os bebês não querem comprar, querem mamar na teta da AM!!!

    Eu acompanho a revista desde o JBOX. E li isso lá: Trocando em miúdos: agradou fica, caso contrário será substituído por outro título.
    Acho que aí que o povo otaku se empolgou. Deram a entender que os próprios idealizadores, caso não agradassem podiam ser substituídos por qualquer um melhor. E deu a entender tbém que
    os caras não ligam a mínima pro próprio emprego e pra suas histórias que levaram anos pra fazer. Eles deram aval pro povo não comprar e ainda quererem melhorar a revista.
    Se os idealizadores são humildes suficiente pra dar licença, então, f***u tudo!

    Putz, SEBRAE na editora Lancaster, né? Se fosse grupo ou estúdio, até dava pra entender os desenganos, a falta de tato, mas é editora! E editora que abriu só pra uma revista, é querer falir! SEBRAE! SEBRAE! SEBRAE!!

    ResponderExcluir